Com base na palestra Tende bom ânimo transmitida pelos canais digitais da Associação Espírita Fé e Caridade, em 30 de março de 2021, esta publicação traz uma reflexão a respeito do que nosso Cristo vivenciou em seus últimos momentos, tentando transmitir o bom ânimo aos seus discípulos durante a sua última ceia.

Ciente de que logo mais sofreria pelos pecados do mundo, disse Jesus:

No mundo terei aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo.
– João, 16:33.

Ao levar aos seus discípulos estas palavras de conforto, preparava-os para os conflitos que enfrentariam cada um em sua peregrinação.

A lição de Jesus em “tende bom ânimo”

A lição é de que não devemos perder a fé, jamais. Neste mundo que se vive a materialidade, em nosso planeta de provas e expiações, que faz com que, em certos momentos percamos o ânimo, o prazer em viver, pelos mais variados motivos, o ensinamento de Jesus é bálsamo: bom ânimo ante a adversidade, a aflição e os desafios da vida.

Se estamos sob um espiral de aflições, armemo-nos dela: a fé.

No capítulo XIX de O Evangelho Segundo o Espiritismo, o item 11 nos fala sobre a fé, mãe da esperança e da caridade:

A fé, para ser proveitosa, deve ser ativa: não deve se entorpecer. Mãe de todas as virtudes que conduzem a Deus, deve velar atentamente pelo desenvolvimento das filhas que dela nascem.

Espalhemos o bem, pois, com essa força, passamos a compreender os verdadeiros valores que nossa jornada possue, em nossa escala evolutiva. As nossas derrotas serão seguidas de vitórias, onde venceremos a nos mesmos e aos nossos instintos tendenciosos.

Vencer no mundo ou Vencer o mundo

Pode~ se até confundir as expressões vencer no mundo com vencer o mundo. Fica a indagação: qual será mais importante? Vejamos:

  • Vencer no mundo: é vencer mediante os padrões e valores correntes no mundo. Tais como, ascensão social, financeira. reconhecimento. Muitas vezes fugindo à ética. É ganhar no mundo físico de certa forma, mas fracassar no espiritual.
  • Vencer o mundo: é diferente. É pautar nossas condutas em valores morais elevados, que elegemos como nosso guia e referencial de propósitos.

Sabendo que nosso mundo é de dificuldades e que estas são propostas de evolução. Superá-las significa movimentar iniciativas, boa vontade, ideal e determinação. Trabalhar com satisfação, respeitar o próximo, semear a paz são atitudes de transformação, que convidam para o melhor. O apoio ao amigo, ao desconhecido, a caridade que se faz presente em nossas vidas de várias maneiras, iluminará o caminho das provações terrenas.

Ter atitudes construtoras da nossa paz, agir com fé e ânimo diante das dificuldades foi o que nosso Senhor Jesus Cristo nos ensinou e a Doutrina Espírita perpetua até os dias de hoje.

O bom ânimo no atual momento atual planetário

Talvez nos indaguemos: como fazer para enfrentar mais um momento tão doloroso em nossa humanidade?

Primeiramente, tenhamos em mente: A pandemia e o coronavírus não são castigos de Deus.

São certamente uma prova, um enigma do qual podemos tirar a máxima de sermos mais fraternos. Temos diante de nós uma oportunidade de renovação moral.

Vale lembrar o que nos diz o capítulo V de O Evangelho Segundo Espiritismo, no item 26 “Das provas voluntárias. O verdadeiro Cilício”.

As provas têm por objetivo exercitar a inteligência, assim como a paciência e a resignação: um homem pode nascer numa posição penosa e difícil, precisamente para obrigá-lo a procurar os meios de vencer as dificuldades.

Na mensagem do benfeitor Emmanuel no livro Inspiração, pela psicografia de Chico Xavier, podemos encontrar alento para momentos difíceis:

Acolhe as tuas dificuldades quando não consigas extingui-las, sanando-as, pouco a pouco, sob o esforço de tua energia serena.
Não fujas a luta que a vida te propõe, na intimidade de ti mesmo e atendendo ao trabalho do dia -a-dia, a fim de superá-la, conserva a certeza de que é pelas tuas próprias prestações de serviço ao bem comum que a benção da vitória te marcará.

Podemos ter certeza de que diante desse cenário atual de pandemia, sairemos melhores do que antes, não só como seres humanos, mas também como sociedade.

Aqueles que se encontram desanimados e necessitados de energia espiritual para vencer as barreiras naturais da vida, lembrem-se do convite que o Cristo nós fez há dois mil anos:

Vinde a mim todos vós que estais fatigados, que eu vos aliviarei.
– Mateus 11:28

A poesia “Trabalha, Espera, Confia” pelo Espírito Maria Dolores, no livro Assembléia de Luz, pela psicografia do Francisco Cândido Xavier é um convite à nossa reflexão:

Ah! coração fatigado,
Na aflição que te vigia,
Nunca te percas da fé;
Trabalha, espera, confia.

Por mais lutes, mais avanças
Em triste, espinhosa via…
Não esmoreças, contudo;
Trabalha, espera, confia.

Cada hora te parece
Nova dor que se anuncia…
Não te afundes em revolta;
Trabalha, espera, confia.

Já não sabes o tamanho
Da prova que te assedia;
Mesmo assim, prossegue à frente;
Trabalha, espera, confia.

Encontras, a cada passo,
Desprezo, descortesia…
Desculpa, servindo mais;
Trabalha, espera, confia.

Entre os seres mais amados,
Padeces desarmonia;
Não faltes à paciência;
Trabalha, espera, confia.

Sonhaste calma ventura
E sofres em demasia…
No entanto, aguarda o futuro;
Trabalha, espera, confia.

Não temas, nem desesperes,
Toda sombra é fugidia.
O sol brilha, a nuvem passa…
Trabalha, espera, confia.

Para a cura de ansiedade,
Angústia, melancolia,
Usa a receita de sempre:
Trabalha, espera, confia.

Cada manhã, Deus te fala,
Na bênção de novo dia:
– Se queres felicidade,
Trabalha, espera, confia.

Acompanhe na íntegra a palestra que inspirou esta publicação:

Referências:

1. Kardec, Allan. O Evangelho Segundo o Espiritismo. capítulo XIX, item 11. Tradução de Salvador Gentile, IDE, 349, edição 2008.

2, Kardec, Allan. O Evangelho Segundo o Espiritismo. capítulo V, item 6. Tradução de Salvador Gentile, IDE, 349, edição 2008.

3. Xavier, Francisco Candido. Inspiração. Ditado por: Emmanuel. São Bernardo do Campo, GEEM: 2009.

4. Xavier, Francisco Candido. Assembleia de Luz. Ditado por: Maria Dolores. São Bernardo do Campo, GEEM: 1988.

* Colaborou para esta publicação: Magda do Carmo Gonçalves.

** Imagem em destaque: Pixabay.

Categorias: Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *