Para muitas pessoas, em especial no ocidente e em países de maioria cristã, o Natal é uma data festiva, época de celebração, troca de presentes e reunião das famílias. Nessas festas, por vezes, acabamos esquecendo a real importância dessa data: o nascimento de Jesus. Em muitos lares o único que não é convidado e não participa das comemorações é o aniversariante, Jesus.

Na intenção de celebrar Jesus, o Evangelho no Lar realizado para o domingo de Natal pelo instagram da Associação Espírita Fé e Caridade traz o tema: “O significado do Natal para a Doutrina Espírita”. Na ocasião, os trabalhadores da casa Júlia Fertig e Nelson Mate comentam a respeito da ausência de dados concretos sobre a data em que Jesus nasceu, que ficou por consenso da Igreja Romana estabelecida como 25 de dezembro e lembram: não importa a data, o que importa é que Ele nasceu.

Quem é Jesus, para a Doutrina Espírita

Jesus é o guia e modelo da humanidade, das nossas vidas. O irmão maior que encarnou na Terra para nos tirar da infância espiritual e da ignorância. 

Em Cristianismo e Espiritismo Léon Denis revela que Jesus é considerado o governador do planeta Terra. O Espírito Emmanuel, em A Caminho da Luz, explica que, durante a formação do sistema solar, Jesus foi designado para zelar pelo terceiro planeta, a Terra. Sua tarefa envolveu planejar e conduzir a formação do planeta usando conhecimentos científicos, não sendo uma criação ao acaso. 

Após formar o planeta, Jesus liderou o processo de colonização, auxiliado por espíritos elevados, para abrigar e orientar espíritos em reencarnação. Esse processo evolutivo, desde seres primitivos até a sociedade atual, destaca o papel ativo de Jesus na condução do desenvolvimento terreno.

Neste Natal, convide Jesus para cear em sua casa

O Natal é uma oportunidade de renovar os votos de seguir os princípios éticos e morais ensinados por Jesus, buscando a evolução espiritual e a prática do bem.

Não importa se diga que cultivas a bondade somente hoje quando o Natal te deslumbra!… Comecemos a viver com Jesus, ainda que seja por algumas horas, de quando em quando, e aprenderemos, pouco a pouco, a estar com ele, em todos os instantes, tanto quanto ele permanece conosco, tornando diariamente ao nosso convívio e sustentando-nos para sempre.
— Meimei, no livro Antologia Mediúnica do Natal, psicografia de Francisco Cândido Xavier.

O convite do Natal à luz da Doutrina Espírita é para praticarmos a caridade, fazendo por nossos irmãos o que Jesus espera de nós. Doações são sempre muito bem-vindas, mas sigamos além, repartindo também o pão da paz, da felicidade, do perdão e do amor.

É por isso que o Natal não é apenas a promessa da fraternidade e da paz que se renova alegremente, entre os homens, mas, acima de tudo, é a reiterada mensagem do Cristo que nos induz a servir sempre, compreendendo que o mundo pode mostrar deficiências e imperfeições, trevas e chagas, mas que é nosso dever amá-lo e ajudá-lo mesmo assim.
— Emmanuel, no livro Antologia Mediúnica do Natal, psicografia de Francisco Cândido Xavier.

Acompanhe agora a transmissão feita na noite de Natal:

*Colaborou para esta publicação: Emilia Chagas.
**Imagem em destaque: via pexels.com.

Categorias: Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *